As situações de divórcio, como vivências de ruptura difíceis de ultrapassar requerem alguns ingredientes que ajudem a facilitar o processo a bem de todos os membros da família em questão.

Costumamos pensar que a fase em que um sai de casa e acontece a separação é a mais difícil…mas nem sempre é assim.

cerebroDepois disso várias decisões terão que ser tomadas, num rodopio de emoções nem sempre é fácil optar por caminhos certos e muitas vezes sentimo-nos rodeados de “experts” que tudo parecem saber mas que em nada nos ajudam de facto.

Muitas vezes o momento de separação é sentido como um alivio para uns, senão para todos. É a fase em que havendo “espaço” se corta com as rotinas de desgaste constante a que muitos se sujeitam, às vezes durante anos. É natural haver uma fase de quase “ressaca”, quando o período pré-separação se viveu de forma turbulenta.

imagesH6RJV1FWAs crianças também podem reagir pouco, ou de forma até aparentemente positiva nesta  fase, já que também elas passaram por momentos difíceis, dentro da dinâmica de conflito entre os pais.

Importa dizer que cada família é uma família, singular e única. Não havendo assim formulas mágicas, nem procedimentos estanques que se possam recomendar a todos.

Cada família tem a sua história, o seu percurso e cada membro da família tem por sua vez a sua experiência, e uma forma única de viver momentos de transformação.

As palavras ruptura, divórcio, separação têm necessariamente uma conotação negativa, e de facto reportam sempre a um momento difícil, de aceitação de que algo falhou.

Mas existem formas de seguir um caminho de escolhas ponderadas e tranquilas. Onde seja viável optar por tomar decisões certas e positivas. Onde seja possível vivenciar um processo de transformação favorável e evitar deixar perdurar as sequelas de um momento menos bom das nossas vidas.

Aqui aprendemos a viver (bem) um divórcio!

Por Maria Portugal

info@divorcio.com.pt