Regras para Pais divorciados no Natal

 

 

  1. NUNCA diga ao seu filho que está a sentir-se infeliz e miserável porque ele vai passar as férias, a noite ou o dia de Natal com o outro progenitor. Já é suficientemente duro para ele não ter a família unida, ele não precisa de se sentir responsável por si.
  1. Faça cara alegre, finja que está feliz por ele porque vão ser mesmo incríveis aqueles dias que vai passar com o outro Progenitor. Importante é mesmo o Seu filho achar que está tudo bem.
  1. Quando ele sair, feche a porta e chore o que tiver que chorar, ligue a um amigo a desabafar, beba um (ou mais) copos de vinho. Veja séries, vá correr, vá ao ginásio ou encomende uma pizza. Importante são mesmo aqueles minutos antes do Seu filho sair de casa, aí vai ter mesmo que se aguentar e o Seu filho vai achar que está tudo bem.
  1. Arranje forma de se divertir na semana em que não está com ele. Se não se divertir minta e diga ao Seu filho que se divertiu imenso. Ele não tem que se sentir responsável por si, pela Sua mágoa ou tristeza. Ele não tem que andar com esse peso nos ombros. Ele pode, e deve, estar feliz com o outro Progenitor. Esta regra vale para quando falarem ao telefone. Repita comigo: “Eu estou bem!”.
  1. Quando ele telefonar por favor não lhe diga: “Nem imaginas, estou na Lapónia com o Pai Natal de verdade e isto é um sonho, que pena não estares aqui.” O seu filho deve estar a viver o momento com o outro progenitor e o seu foco é a felicidade dele, certo? Não entre em competição.
  1. Além de fingir, fique verdadeiramente feliz por ele. O amor não se divide, multiplica-se! Não é por ele se estar a divertir imenso em casa do outro progenitor que ele vai divertir-se menos consigo. O seu filho pode, e deve, somar momentos felizes com a Mãe e com o Pai.
  1. Não compre milhões de presentes para compensar o tempo que não está com ele ou para competir com o outro progenitor para ver quem dá o melhor presente. Isto não faz bem à Sua carteira, não faz bem ao seu filho e, quer saber a verdade? Não resulta!!

Finalmente, quando ele regressar, sente-se com ele a ouvir o que ele tem para lhe contar. Viva e vibre com esses momentos que foram importantes para ele. Não critique o que fizeram. Se tiver alguma coisa a dizer fale directamente com o progenitor. O seu filho odeia que critique o outro progenitor à frente dele, sabe isso não sabe?

Boas Festas!!

 

Susana Pragosa

(advogada)